BUSCA

Música e Liturgia

“O canto e a música desempenham sua função de sinais de maneira tanto mais significativa por ‘estarem intimamente ligados à ação litúrgica’, segundo três critérios principais: a beleza expressiva da oração, a participação unânime da assembléia nos momentos previstos e o caráter solene da celebração. Participam assim da finalidade das palavras e das ações litúrgicas: a glória de Deus e a santificação dos fiéis” ( CIC- 1157).

Não pretendo fazer aqui um tratado de liturgia, apenas darei algumas dicas sobre a postura do ministério de música em animações litúrgicas, especialmente nas celebrações Eucarísticas.

Na celebração Eucarística, o presidente é o sacerdote; portanto, antes de toda e qualquer celebração, converse com o sacerdote e exponha o que o ministério preparou em unidade com a equipe de liturgia.

Sei de toda a complexidade e até das diferentes interpretações sobre a liturgia que alguns padres dão; em todo caso, vale a máxima: “Quem obedece não peca”. Portanto, consulte o padre e obedeça-lhe.

 

Se você tiver conhecimento o bastante e abertura com o sacerdote, pode defender dua opinião; o diálogo nos faz crescer. Mas converse em outro momento, não poucos minutos antes do início da celebração.

Na missa, a música deve contribuir ara o engrandecimento e a profundidade dos momentos litúrgicos; por isso, cada música precisa se encaixar com momento certo e acompanhar os tempos litúrgicos.

Missa não é Show!

Não chame a atenção do povo para si ou para seu grupo musical. Na missa, Jesus é o centro.

Não desvie a atenção das pessoas com “caras e bocas” durante a interpretação de uma música, nem na execução de um solo instrumental.

Não converse durante a celebração, escolha antecipadamente as músicas e seu respectivos tons. Se houver extrema necessidade de algum diálogo, faça-o da forma mais discreta possível. Nada mais desagradável do que um ministério se entreolhando com ar desesperado, de “qual a próxima música?” ou “qual o tom?”.

Não use, durante a missa, roupas com cores fortes ou estampadas, a não ser que você seja convocado de surpresa e não tenha condições de se trocar.

Não use, de jeito nenhum, roupas sem mangas, decotadas, transparentes ou bermudas durante a celebração Eucarística.

Escolha os cânticos de acordo com as leituras e tempo litúrgico. Não se pode cantar os Hits, a não ser que se encaixem com o tema da celebração.

Peça aos músicos que toquem de forma harmônica e com um volume que favoreça a oração. Já vi muitas vezes sacerdotes e ate bispos serem “martirizados” pelo alto volume dos instrumentos, inclusive da bateria, montados a menos de um metro de seus ouvidos, em palcos pequenos.

Não use a harmonia mais complicada que vocês sabe tocar. Nas celebrações, precisamos ajudar o povo a rezar as canções. Acordes muito dissonantes não são os mais indicados nessas ocasiões. Cuidado para não fazer das missas uma “Válvula de escape”para seu desejo de tocar no Free Jazz Festival ou no barzinho mais “out” de sua cidade.

Ensaie com o povo antes da missa. Ensine os cânticos novos e motive-os a rezar com eles.

Algumas fórmulas da missa, como o “Cordeiro de Deus”, não podem ser modificados. Estude liturgia! Em liturgia não dá para improvisar.

Não queira ser um ministro de música “garçom”, que apenas serve aos outros o banquete. Participe ativamente de cada momento da celebração, sente-se à mesa. Você também é um “feliz convidado para a ceia do Senhor”.

Se você é animador de música na liturgia, não multiplique as palavras. Não queira fazer uma homilia a cada música, nem queira roubar o papel do comentarista.

Luiz Carvalho - Com. Recado
Fonte:
cancaonova.com

Comentários  

 
#37 Diego Costa 10-03-2016 16:27
Boa tarde,
Gostaria de perguntar uma coisa. Quais são os padrões e onde são definidos os cantos litúrgicos?
Porque se estes estão passivos a mudanças e correções como acontecem aqui na minha arquidiocese, oque exatamente dá este caráter irrepreensível dos cantos atuais ao ponto de não podermos sugerir outros cantos que poderiam corresponder melhor à liturgia?....de sculpe se pareceu arrogante, não é minha intenção, eu estou realmente querendo uma resposta.
 
 
#36 valdir 10-12-2015 10:46
Ótima dica de nosso irmão Luiz Carvalho, e comentários de outros irmãos que concordam não só com ele, mas com a igreja em relação à liturgia. Nossa igreja é linda, e rica em sinais, símbolos e música liturgica, é única igreja em que nós temos a santa eucaristia, então, vamos respeitar. a nossa igreja não tem 10, 100 ou 500 anos, tem mais de 2000. A alguns irmãos que criticam a forma liturgica de celebrar saibam que não é a igreja que tem que se adaptar à seu gosto, e sim quem quer ser um agente de liturgia tem que seguir o que a igreja pede. Os irmãos enraizados que certa pessoa diz, são aqueles verdadeiramente católicos, e os "amigos" que se afastaram nunca foram., sempre quizeram ser de outras religiões e querem trazer aquelas celebrações às nossas igrejas. O show pode até empolgar na hora, mas a oração é que preenche plenamente os corações.
 
 
#35 Kelly Regina 01-11-2015 09:07
Meus irmãos concrdo com alguns quando dizem que precisamos renovar a nossa igreja e assim o fazemos, mas a Santa Missa é um rito e precisa ser respeitado como tal, o canto na missa nos ajuda a celebrar cada parte, a vivenciar cada momento do qaul não podemos mudar, tem um "roteiro" a ser seguido. Concordo com o Luiz Carvalho quando diz que temos que coclocar músicas de acordo com a palavra sendo proclamada, isso nos ajuda a ssimilar ainda mais a palavra de Deus em nosso coração. E para quem não o conhece, ele faz pare da comunidade Shalon, que por sinal tem um belíssimo trabalho para nós músicos, tanto para técnica vocal, como cançãos para liturgia e outros momentos. Podemos invovar e fazer um "show" para Jesus como foi citado, em momentos dia de louvor,em grupos de oração, mas sem perdemos o foco da palavra de Deus. Um bom cantor católico ele MINISTRA a música e não apenas Canta. Quanto a perdemos os nossos irmãos para outras denominações não se preocupem, é sinal de que nunca foram católicos, porque o vedadeiro católico não muda de religião, porque conhece a sua doutrina e suas tradições. Vamos sim renovar a nossa igreja sem perder a nossa tradição. Caso contrário estaremos não inivando , mas copiando outras religões e trazendo para nossa igreja.
 
 
#34 Luis Carlos 01-10-2015 01:37
Só não vê quem não quer, estamos perdendo a juventude para as igrejas protestantes.
A igreja catolica deu um grande passo com a RCC, trazendo jovens para a igreja novamente, mostrando mlhe algo diferente.
Mas pelo que estou vendo estão tentando retroceder, voltar a um tempo que não se podia fazer nada nas nossas igrejas.
Estou vendo a hora que ao chegar-mos na igreja encontraremos o sacerdote de costas para a comundade, celebrando a missa em latin
 
 
#33 Gentil Silva 08-09-2015 16:33
Olá povo Deus.
- Temos que aproveitar sim, tudo que é bom de cada Sacerdote, de cada Grupo Litúrgico e toda comunidade envolvida na missão da nossa Igreja Católica. É lógico que é sempre bom aprender, aperfeiçoar a maneira de cantar o jeito de tocar, inovar um pouco. Mais antes desse passo temos que ter voluntários para o ministério, que está cada vez mais difícil. Olha, toco na minha comunidade, também a mais de 10 anos, nesse tempo foram criados pouquíssimos grupos e não teve continuidade, vejo sempre o mesmo pessoal no ministério da música. Andei lendo alguns comentário sobre o tema, há alguns bastante divergentes, isso é normal, há regiões, lugares que é mais fácil participar e crescer junto com o ministério, principalmente nos centros, nas capitais, já na periferia é mais difícil, mais não é somente nós leigos que sofremos com isso, os sacerdotes também, quando vem dos centros para periferia ou vice versa, a realidade muda até das capelas para as paróquias, imaginem regiões então. Mas finalizando, nós todos temos um único objetivo que é o nosso Pai Celestial, nosso Salvador, temos que apresentar Ele a comunidade e a comunidade a Ele, através do ministério da música e a liturgia. Introduzir sim, músicas litúrgicas novas mas fazer com que a assembleia toda acompanhe e participem. Paz e Bem.
 
 
#32 GUSTAVO SANTOS 03-09-2015 14:38
esse tal de Luiz Carvalho - Com. Recado deve ser mais um dos enraizados que acha que sabe alguma coisa e não sabe de nada pensa que a igreja tem dono. cansei de perder amigos e irmãos para igrejas evangélicas e luto incansavelmente para mudar esse jeito de pensar. o tempo desses irmãos já acabou é hora de renovação de alegria e muito louvor para louvar e tocar nos corações das pessoas as lindas músicas católicas.é claro tudo dentro do seu limite e respeitando as santa missa.
 
 
#31 GUSTAVO SANTOS 03-09-2015 14:22
EU NÃO SEI QUEM FOI O ABENÇOADO QUE COLOCOU NO TEXTO AI EM CIMA NO INÍCIO DO SITE QUE ELE CITA ( a participação unânime da assembléia nos momentos previstos ) MOMENTOS PREVISTOS ? FALA SÉRIO IRMÃO PELO AMOR DE DEUS A ASSEMBLÉIA É A PARTE MAIS IMPORTANTE EM UMA MISSA DO COMEÇO AO FIM OU VOCÊ CONHECE ALGUÉM QUE FAZ UMA MISSA SEM NINGUÉM NA ASSEMBLÉIA ESSE POVO QUE ESTÁ ENRAIZADO NAS IGREJAS DEVERIAM SER BANIDOS E DAR O LUGAR PARA NOSSOS SERVOS COM NOVAS IDÉIAS NOVOS CANTOS UM JEITO NOVO E RENOVADO PARA EVANGELIZAR,CAN TAR,GLORIFICAR A DEUS.
 
 
#30 GUSTAVO SANTOS 03-09-2015 14:10
tenho uma pequena mensagem pra esses irmãos que acham que sabem alguma coisa, mas na verdade não sabem de nada inocentes... ... a música deve sim ser tocada da melhor maneira possível, e com todo amor e alegria! sou músico toco nas missas e faço de cada missa um verdadeiro show pra jesus cristo e para a comunidade sabem porque ? --- porque quando as pessoas chegam na missa abatidos, abalados, trites, durante a missa, com as leituras, a palavra e as músicas as pessoas se enchem de alegria elas cantam dançam e glorificam ao senhor. muito ao contrario daqueles que fazem as pessoas saírem das missas mais tristes do que chegaram tocando músicas que não motivam não cativam e não mechem com o coração, o povo que é de ministério de música devem saber que os padres, os ministros, e todos os servos passam vão embora e a igreja fica..... temos que passar essa alegria para os jovens porque a igreja não continuara sendo igreja se eles não forem as missas, os mais velhos não gostam das músicas renovadas, é por isso que na igreja católica existem apenas aquela meia dúzia de jovens e são sempre os mesmos filhos de alguns servos, um conselho meu para todos os ministério de música toquem muitooooo toquem altoooo façam a igreja inteira tremer e ser sacudida com a alegria que vem do talento que Deus colocou em cada um de vocês porque cada um tem o seu DOM em especial até o padre tem o seu, tenho mais um milhão de coisas pra falar sobre isso mas acho que alguns já entenderam o recado a paz de Cristo irmãos, e se for preciso lutem para transformarem a igreja católica antiga em uma igreja católica renovada por ela não tem dono a igreja é nossa... é do povo.... é de DEUSSSSSSSSSSSS S AMÉMM...
 
 
#29 LUCIANO BAYER 02-08-2015 01:15
Boa noite (ou, bom dia)!

Luiz, há um bom tempo que já recebi as lições que você, com grande objetividade, expôs neste artigo.

Fico triste ao ver comentários que confrontam aquilo que não sua ou minha opinião, mas resultado, simplesmente, da mais importante reunião dos Bispos do Mundo: o Concílio, no caso, o Vaticano II, que está vigente.

Vi alguém dizer que sentiu necessidade de trazer cantos novos para as Missas, o que é um grande engano, para ser respeitoso. A Igreja tem um repertório riquíssimo e não há, em hipótese alguma, qualquer necessidade de inovar. Basta cantar a liturgia tal qual a Igreja a concebeu e nada mais é preciso.

Segunda voz, falsete e outros recursos vocais não são benéficos para a música litúrgica. É preciso envolver a assembleia. O canto é uma resposta desta, no bolo da celebração Eucarística. Pessoas com pouca técnica vocal podem sentir dificuldade quando naipes diferentes são aplicados por grupos de cantos.

O canto sem acompanhamento instrumental, muitas vezes, ao contrário do que disse a mesma pessoa, é riquíssimo e responde à proposta litúrgica. Não há nada mais bonito do que um canto à capela bem executado.

Os instrumentos devem ser utilizados para dar sustentação ao canto, não para exposição de virtuosismo.

Por favor, continue com este trabalho litúrgico-pedag ógico para corrigir orientações mal compreendidas.

A Liturgia é linda do jeito que está sendo celebrada. Não precisamos buscar referências externas.

A juventude, se bem catequizada, saberá compreender a riqueza da celebração litúrgica, bem como, aprenderá que outras celebrações são possíveis, sem rito definido, como encontros e retiros.

Temos que tomar muito cuidado para não trazermos para a liturgia concepções paralitúrgicas, que empolgam porque seus conteúdos comovem a atraem pessoas. Não é esse o objetivo. É a celebração da vida, da vitória da vida sobre a morte que o Senhor nos oferece e que devemos nos sentir tocados.Missa não deve ser considerada "bonita" porque os cantos são alegres, porque o padre é "diferente". Missa é Missa e nada mais sequer pode ser agregado.

Um grande abraço!
 
 
#28 maria tereza amancio 30-07-2015 11:54
gostei dos comentarios mas esta tão dificil conseguir pessoas que queria comprometer´se com a musica dentro da igreja pois aqui na minha paroquia tbm estamos com dificuldades para que mais pessoas participam até ajudam a cantar mas o compromisso ta dificil
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar